Israel • Viajar para fazer turismo em Israel é seguro?

Essa é a dúvida que acomete 9 de cada 10 viajantes que vão a Israel pela primeira vez. E é compreensível. O país, que acabou de completar 70 anos, já passou por várias guerras, além de ter vivido (e ainda viver) sob ameaça de ataques terroristas. Por tudo isso é de se esperar um lugar violento, onde se vive sob tensão constante, mas a realidade é exatamente o oposto. O fato é que Israel é um país muito seguro.
Leia também: Roteiro de viagem de carro por Israel | Tel Aviv, Jerusalém, Mar Morto, Eilat, Haifa e Tiberias
Estatísticas
Eu gosto de objetividade e procuro sempre que possível me basear em estatísticas, pois número quase nunca mentem. Por isso, procurei por estatísticas internacionais de crimes e encontrei o site do Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crime (United Nations Office On Drugs and Crime – UNODC). Lá podemos encontrar dados de quase todos os países e, assim, fazer comparações.
Para o Brasil e Israel, o último dado disponível é de 2005. As taxas de homicídios por 100.000 habitantes nos dois países são:
– Israel: 1,36;
– Brasil: 26,74.
Esses valores incluem mortes causadas por terrorismo. Em suma, é quase 20 vezes mais provável morrer em consequência de violência urbana no Brasil do que por causa de um atentado terrorista em Israel. Os números falam por si.
O dia a dia
Deixando os números de lado, vamos para o dia a dia no país. O que pude notar é que as pessoas andam despreocupadas na rua, falando ao celular sem medo de serem roubadas. Roubos a mão armada são raros. Furtos acontecem, então é bom tomar cuidado, mas isso vale para qualquer lugar do mundo.
Na praia de Tel Aviv, o salva-vidas periodicamente emitia avisos pelos alto-falantes alertando os banhistas para furtos e orientando-os a não deixar objetos de valor sem supervisão nas espreguiçadeiras. O policiamento é sempre presente, mas nada fora do normal.

Policiamento na orla de Tel Aviv. Falando de Viagem

E o conflito com os palestinos?
O conflito entre Israel e os palestinos ainda existe, mas os reflexos no dia a dia praticamente não são notados. Enquanto estávamos no país o exército israelense estava lutando com o Hamas na fronteira com a Faixa de Gaza, mas nem ouvimos falar disso. E isso que Tel Aviv fica a 70 quilômetros da Faixa de Gaza.
Leia também: Uma viagem pelos encantos de Israel
Por falar em Gaza, um dia estávamos viajando de Eilat para Haifa e paramos para almoçar em um restaurante na beira da estrada. No horizonte podíamos avistar alguns prédios e mesquitas. Era Gaza.
O fato é que nas ruas, nos ônibus e nas lojas você vê árabes e judeus caminhando lado a lado e ninguém sai no tapa com ninguém.

Família muçulmana caminhando na orla de Tel Aviv. Família muçulmana caminhando na orla de Tel Aviv. Falando de Viagem

No nosso primeiro dia em Tel Aviv, enquanto caminhávamos no calçadão da praia, uma moça simpática viu que eu tirava fotos da minha esposa e se ofereceu para tirar foto de nós dois. Depois da foto puxamos assunto com ela e perguntei de onde ela era. "Nablus, Palestine", ela respondeu. E o que fazia em Tel Aviv? Estava passeando, como nós.
Leia também: En Gedi Nature Reserve | O maior oásis de Israel
Ao entrar em shoppings ou lugares fechados onde há muita aglomeração geralmente há um segurança na porta que pede para olhar o interior de bolsas e mochilas, além de passar detector de metais no nosso corpo. Notei que muitas vezes é uma pessoa idosa que faz esse trabalho. Todos os que encontrei foram muito educados.

Segurança na entrada do Sarona Market, em Tel Aviv. Segurança na entrada do Sarona Market, em Tel Aviv. Falando de Viagem

E a guerra na Síria?
Se o conflito em Gaza não atrapalhou nossa viagem, a guerra na Síria atrapalhou ainda menos. Para não dizer que nem ouvimos falar na guerra, enquanto estávamos lá o exército de Israel derrubou um drone sírio que havia invadido o espaço aéreo israelense. Só soube pela internet.
O Monte Bental, nas Colinas do Golan, oferece uma bonita vista para a Síria e vale uma visita. Damasco fica a 96 quilômetros de lá.

Vista do alto do Monte Bental - a Síria é logo ali. Vista do alto do Monte Bental – a Síria é logo ali. Falando de Viagem

Soldados por todo lado
Uma coisa que chama a atenção é a constante presença de soldados, muitas vezes armados com fuzis ou submetralhadoras. Isso é normal e não tem nada a ver com segurança pública ou com uma guerra acontecendo. Em Israel, o serviço militar é obrigatório para homens e mulheres que completam 18 anos e dura 3 anos para eles e 2 anos para elas. Após completar esse período, o reservista ainda é convocado periodicamente para realizar um mês de treinamento, até completar 40 anos. O soldado que você vê carregando um fuzil M16 pode ser o gerente do seu hotel cumprindo o serviço militar.
Leia também: Vale a pena alugar carro em Israel?
Conclusão
Israel é um país muito seguro. A violência urbana é praticamente inexistente e os conflitos em Gaza e na Síria dificilmente vão atrapalhar a sua viagem. Se você está apreensivo, deixe o medo de lado e aproveite esse país, que tem muito a oferecer aos viajantes.
Boa viagem!
E você, já viajou para Israel? Achou o país seguro ou ficou com medo? Conte para nós a sua experiência!

Facebook Comentários

Iniciar conversa
Vamos anunciar?