Em Luiz Alves, voluntários produzem máscaras para ajudar a população – OI SC

imagem31-05-2020-23-05-15
imagem31-05-2020-23-05-15
Buscando proteger a população Luizalvense em tempos de pandemia, a Prefeitura Municipal, o SENAI e o Instituto Duda e Adelina, da empresa Dudalina, uniram esforços para produzir um item que se tornou indispensável para a população se prevenir contra o coronavírus: as máscaras.

Desde o início do mês, máscaras de proteção vêm sendo produzidas por voluntários da cidade, entre eles ex-alunos do SENAI formados no curso de Jovem Aprendiz confeccionador de roupas, com orientação da docente e voluntária Maria Ivete Cunha Biz. Na ação, eles estão colocando em prática todo seu conhecimento em uma causa coletiva que beneficiará diversas pessoas.

“Atuar neste projeto social é muito gratificante, não apenas para quem é ajudado, mas também para quem ajuda. A experiência está sendo ótima e contamos com o apoio de colegas, ex-alunos e voluntários, todos com um mesmo propósito em fazer o bem”, comenta Fabiana Cerato, coordenadora de operações SESI/SENAI da região da Foz do Rio Itajaí. O SENAI tem uma parceria com a Prefeitura Municipal, empresas locais e comunidade e está disponibilizando todo seu espaço escolar localizado na cidade, para confecção das máscaras.

A Gabriela Brito Henning Wust, agora tem 21 anos de idade, mas há cinco, estudou no SENAI como Jovem Aprendiz. “O SENAI sempre incentivou o espírito de coletividade nos alunos e esse estímulo mudou meu comportamento sobre voluntariado. As técnicas que aprendi no corte e costura, hoje são aplicadas na confecção das máscaras e isso é muito gratificante”, destacou a ex-aluna.

Já o Rafael Henrique Correia, tem 15 anos. Ele aprendeu a usar a máquina de talhar moldes no ano passado e também é voluntário.  “Aprendi a usar a máquina de talhar e isso foi muito importante agora e vai ser para o meu futuro profissional. Hoje, com o que aprendi, posso ajudar na confecção destas máscaras que vão contribuir para salvar muitas vidas, as vidas das pessoas onde eu moro”, contou o jovem.

O Instituto Duda e Adelina já realizou duas doações de tecido 100% algodão – conforme recomendado pelos órgãos de saúde – para confecção das máscaras, tanto adulto quanto infantil, elásticos e toda matéria-prima necessária. A empresa luizalvense Marco Têxtil também apoiou a ação, doando uma caixa de rolos de elástico, o suficiente para produzir cerca de 3 mil máscaras.

A distribuição das máscaras começará pelas famílias assistidas pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Assistência Social e, em breve, toda população que faz parte do grupo de risco receberá duas unidades. Até o momento, cerca de mil unidades já estão prontas. O projeto pretende entregar ao todo cerca de 10.000 máscaras, mas é importante o apoio dos moradores de Luiz Alves, no sentido de participarem como voluntários.

A confecção das máscaras é feita na unidade do SENAI em Luiz Alves, três vezes por semana (segunda, terça e quarta-feira), nos períodos matutino e vespertino. Os interessados, em ser voluntários devem entrar em contato, pois é necessária uma distribuição de grupos com dez pessoas por equipe de trabalho, respeitando as determinações dos órgãos de saúde.

O projeto

O Instituto Duda e Adelina, um dos participantes da ação, já possui um projeto social onde o resíduo têxtil de várias empresas da região é reutilizado na confecção de artigos patchwork. Esse projeto social é disseminado para instituições beneficentes de todo o Brasil, com a doação de matéria-prima e capacitação da técnica de costura.

A coordenadora de responsabilidade social no Instituto Duda e Adelina, Patrícia Souza, comenta que “em virtude da pandemia do Covid-19, o Instituto resolveu confeccionar máscaras para doar a instituições de todo o Brasil com esses resíduos têxteis”. “O prefeito ficou sabendo da nossa ação e entrou em contato, solicitando a doação de matéria-prima para confeccionar máscaras para os moradores do grupo de risco da sua cidade”.

 

Fonte: oisc.com.br/em-luiz-alves-voluntarios-produzem-mascaras-para-ajudar-a-populacao

Facebook Comentários

Iniciar conversa
Vamos anunciar?